quarta-feira, 4 de março de 2009

A medida em que penetrava
descobria aos poucos aquele ser.
Passo a passo, dia a dia, vida a vida.
Como bonecas russas,
aquela boneca continha várias em si.
Cada despetalar trazia uma novidade.
E aprisionada em seus infinitos,
sabia já impossível voltar atrás.

5 comentários:

Ravi Arrabal disse...

E a cada dia, todos nós
Descobrimos que bem pra dentro
Temos sempre mais!

Lilows disse...

bolso de mágico... quanto mais lenço se tira, mais lenço tem...coloridos, outrora um branco...um preto...coloridos novamente.

Liège disse...

Olá. Vim lhe fazer uma visita e ler seus versos.
Beijos.

Rafael Rodriguez disse...

Que beleza!

Bonitos comentários também.

bj.

Ju Bessa disse...

Só não pode se perder....tantas bonecas, infinitos caminhos...cadê o mapa? rs Beijos Aline!!!

Arquivo do blog