terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

É uma atividade interessante brincar de escrever poemas. Você escreve uma palavra e passa para o próximo e assim sucessivamente. O resultado final pode ficar bem criativo!
:)



Posso pintar, mas as estações não são iguais.
Cada instante é navio que parte,
mesmo junto não reflete o improvável da vida.
Quero, procuro, estou.
Depois, nada. O assim, assim é.
Não sou quietude,
sou plenitude,
sou fim.



14/07/06
Aline Miranda / Juliana Veiga

5 comentários:

Giselle disse...

gente!!! que gracinha!!!(quem fala assim mesmo!? rsrsrs...) tem o dedinho da minha mana aí...que fofo! =)
Adorei!
beijos,querida

Marcela Alelí disse...

Tb gosto de brincar, as vezes o resultado dá muito certo,mas outras da um poema- frankenstein hahah .Esse no caso ficou lindo!!!Um beeeiijo
Marcela Alelí

Lud disse...

Não sei se eu acredito que esse poema foi feito assim não, hein! rsrs
Adorei!
Cada instante é navio que parte...

♥Menininha Patty♥ disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
,.-~*´¨¯¨`*·~-.¸-(_Fofurinhas Online_)-,.-~*´¨¯¨`*·~-.¸ disse...

Olá Aline sou eu a Isabelle de novo passando sempre aqui pra dizer que teu blog está muitooooo
Lindo e seu template combinou com seus poemas ficou um arraso

Arquivo do blog